Pessoas pretas têm rendimento quase R$ 500 menor do que as brancas na PB, aponta IBGE

  • 07/12/2023
(Foto: Reprodução)
As informações foram divulgados em levantamento do IBGE, considerando dados relativos aos rendimentos médios mensais no Brasil e entre as unidades da federação no ano de 2022. Pessoas pretas possuem rendimento médio mensal de R$ 791, na Paraíba Reprodução/Freepik A população de pessoas pretas tem um rendimento médio mensal quase R$ 500 menor que o das pessoas brancas. De acordo com a Síntese dos Indicadores Sociais (SIS), publicada pelo IBGE nesta quinta-feira (7), enquanto o primeiro grupo possui ganhos médios de R$ 791, o segundo recebe R$ 1.251, representando uma diferença de R$ 460. Os dados divulgados registram desigualdades relativas aos rendimentos no Brasil e nas unidades da federação no ano de 2022. Em relação a desigualdade de gênero, os homens paraibanos tinham rendimentos médios de R$ 1.107 mensais, enquanto as mulheres R$ 1.066. As mulheres negras possuem rendimentos médio mensal de R$ 987,23, um valor 22,6% menor do que o rendimento dos homens brancos, de R$ 1.275. A desigualdade entre homens brancos e mulheres negras é de R$ 287,77. Considerando todo o Brasil, o rendimento médio do homem branco era de R$ 2.167, enquanto para a mulher preta ou parda esse valor ficava em R$ 1.117, que representava um rendimento 48,4% menor para este último grupo. A maior desigualdade de rendimento do país O rendimento mensal domiciliar per capita paraibano foi de R$ 1.086, o 9º menor do país. O resultado da Paraíba ficou um pouco maior que a média do regional (R$ 1.011), mas inferior a nacional (R$ 1.586). O levantamento também destacou a desigualdade de classes em relação ao rendimento domiciliar per capita. De acordo com os dados, 79,2% do total da população paraibana com rendimento em 2022 (3,2 milhões de pessoas), residia em lares com rendimento domiciliar per capita de até 1 salário mínimo, enquanto apenas 1,2% da população (cerca de 48,7 mil pessoas) tinha rendimento per capita maior que 5 salários mínimos. Para o Nordeste, as proporções ficavam em 77,3% e 1,4%, respectivamente, enquanto para o Brasil, as taxas ficavam em 58,85 e 3,4%. A maior desigualdade de rendimento domiciliar per capita do país foi constatada após a Paraíba obter o maior Índice de Gini, sendo 0,558. O resultado ficou acima da média do Nordeste (0,517) e do Brasil (0,518). O indicador mede a concentração de renda e a desigualdade econômica, de forma que quanto mais próximo de zero, menor a desigualdade. Quanto mais próximo de 1, maior a desigualdade de renda entre a população. 11% da população está em pobreza extrema Outro indicador analisado foi a pobreza monetária, que se refere a insuficiência de rendimentos das famílias para provisão de seu bem-estar. Foi constatado que 11,1% da população paraibana estava na condição de extrema pobreza, a 7ª maior taxa dentre as unidades da federação, ficando abaixo apenas do Maranhão (15%), Acre (14%), Alagoas (13,1), Bahia (11,9%), Pernambuco (11,7%) e Piauí (11,6%). O resultado foi mais que o dobro da média verificada para o Brasil (5,9%), sendo levemente inferior à média regional (11,8%). Vídeos mais assistidos do g1 Paraíba

FONTE: https://g1.globo.com/pb/paraiba/noticia/2023/12/07/pessoas-pretas-tem-rendimento-quase-r-500-menor-do-que-as-brancas-na-pb-aponta-ibge.ghtml


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Peça Sua Música

Top 10

top1
1. Coração Cigano

Luan Santana feat Luísa Sonza

top2
2. Cold Heart (PNAU Remix)

Elton John, Dua Lipa

top3
3. As It Was

Harry Styles

top4
4. Sinônimos

Chitãozinho & Xororó, Ana Castela

top5
5. My Universe

Coldplay · BTS

top6
6. Deep Down

Alok · Ella Eyre · Kenny Dope · Never Dull

top7
7. Anti-Hero

Taylor Swift

top8
8. Haja Colírio

Guilherme e Benuto feat Hugo & Guilherme

top9
9. Pode Parar

Alexandre Pires (part. Jorge)

top10
10. Gusttavo Lima

Desejo Imortal (Ao vivo no Mineirão)


Anunciantes